Pesquisar este blog

domingo, 3 de maio de 2009

Nas mãos do velho homem




“Os alimentos são para o estômago e o estômago para os alimentos; Deus, porém aniquilará, tanto um como os outros. Mas o corpo não é para a prostituição, mas para o Senhor, e o Senhor para o corpo.” (1ª Co 6.13)


Muito se tem escrito sobre os fracassos nos relacionamentos, sobre as frustrações em alguns casamentos que mal começaram, nas decisões encalças, nas fraquezas daqueles que almejam acertar. Há uma enxurrada de livros sobre o assunto e ainda não tenha escrito nem um terço das causas, conseqüências e possíveis soluções, posto que assassinar as paixões não é tarefa fácil, principalmente se levarmos em consideração as inclinações do velho homem, suas motivações, medos, neuras, desejos e predicados contextuais. Então, o que nos impulsiona agir de corpo? Escolher pelo e com o corpo?
Em primeiro lugar, alguns autores discorrem sobre o contexto da modernidade jogando toda ou parte da culpa dos nossos fracassos espirituais como se as pessoas fossem manipuladas inocentementes. É bem verdade que os instrumentos da mídia em geral têm nos bastidores essa função, mas nenhuma ação se torna reação se em mim ela não tiver poder, assim entendemos que as ações da mídia no homem moderno é resultado do poder de influência sobre cada um, portanto os anúncios, jornais, revistas pornográficas, novelas, filmes e o mau uso da internet têm motivado algumas reações pelo simples fato do corpo ser alimentado e se o corpo foi alimentado é porque estava com fome e se com fome é porque estava pouco a pouco se inclinando ao prato, fator pelo qual o próprio Jesus não caiu na emboscada da ação – reação quando em quarenta dias com fome estava, antes preferiu dizer “Nem só de pão viverá o homem...”, sim, o corpo é metáfora de nós mesmos, ele é o que defendemos ser nos bastidores da vida, lá quando ninguém nos vê, quando as luzes se apagam e o oculto entra em cena.
Na contramão das reações, não poderíamos culpar a mídia, embora saibamos de suas armadilhas, a questão é: O que somos? O que defendemos? Quem somos nos bastidores do corpo, lá onde ninguém pode escutar os gritos do velho homem ruminando seu alimento predileto: as concupiscências. Sim, quem somos nós?
Responder a tais perguntas nos levaria a descobrir as raízes dos problemas nos relacionamentos em vésperas de fracasso, nos colocaria frente a frente ao espelho da verdade, infelizmente a face refletida no espelho tem sido mais verdadeira e real que nós mesmos, por isso poderemos julgar que o diálogo com Deus, com o outro e com nós mesmos têm estado ausente, até porque antes de se alimentar desejamos, desejo causado pela ação – reação do corpo, mas só alimentados se poder tiver sobre nós e para que a fome não nos cause reações contrárias, precisamos entender nossas limitações, porém temos a mania de camuflar nossos mais negros segredos, temos a cultura de mascarar nossas dores, taras, manias que ao se confrontar com as reações do corpo se lambuza com o banquete que a oferecemos, logo a mídia é o banquete dos olhos do corpo, são as guloseimas numa diabetes que nem dói nem se detecta a olho nu, mas surge de mansinho; então pare agora! Se não está sabendo usar a internet, se ao ficar a sós o dvd tem sido um banquete para os filmes pornográficos, se as playboys e G’ magazines e até mesmo as revistas de vendas de lingeries têm sido o combustível que dá poder sobre você, pare em nome de Jesus, porque nem só de pão viverá o homem, mas de toda Palavra que sai da boca de Deus.
Através desses e outros elementos, o homem se sente cercado entre o ser e o não ser, falta-lhe a respiração na hora da tentação, mesmo com o espírito pronto, falta coragem para assumir que o câncer do pecado está tomando conta do corpo, falta coragem para encarar a quimioterapia no gabinete pastoral em busca de ajuda, por outro lado faltam também apascentadores nos gabinetes da vida, porque o gabinete transformou-se, em alguns lugares, em gestão financeira de “lucros – alma”, quando a alma ficou presa nas mãos do velho homem e sem forças para retroceder ao seu bel – prazer, escolhendo assim pelo corpo e com o corpo que essa terra ainda há de comer.
Dessa forma, nada pode ser feito, a não ser que a quimioterapia faça efeito na consciência e o remédio da oração seja tomado regularmente na hora exata, se não o corpo fica a mercê do velho homem, vagando pelas as avenidas de uma certeza incerta, decidindo com o olho nu ou com o coração, que de bom nada tem, acreditando nos seus passos que pouco a pouco vão cavando a própria cova no inferno que o espera, embora de cetim, brilho, grife e posição sócio - eclesiástica esteja coberto o corpo.
Sim, minha irmã tem solução, sim meu irmão o remédio da oração tomado regularmente na hora certa é um antibiótico de mil miligramas contra a pneuma da alma. Sim, buscar ajuda junto ao seu apascentador o fará enfrentar as reações do corpo, mas é exercitando o espírito em jejum, é se esvaziando da carne, que o corpo vai morrendo e o espírito tomando fôlego para responder com voz forte: eu não preciso desse alimento, eu preciso da Palavra que sai da boca de Deus.
A partir daí poderemos desenhar a arquitetura do velho homem e mostrar seu desequilíbrio diante as diversas situações. Jesus por sua vez era um homem sensato, seu corpo teve fome, mas ele rejeitou transformar as pedras em pães, visto que atender aos apelos do corpo seria jogar quarenta dias de jejum fora, seria agir com ansiedade, seria deixar o caminho, o alvo: a cruz.
Observe que o velho homem, o diabo, nos oferece comida aos poucos, primeiro ele tenta matar a fome de Jesus, segundo pede para ele pular do alto do pináculo e assim dar um espetáculo, terceiro, prostrar-se. O velho homem alimenta seu desejo, depois faz você se revelar para todo mundo envergonhando a igreja e por fim desviar-se se lambuzando com o prato. As táticas são variadas desde um simples olhar, um gesto, um pensamento para desembocar num vai e vem das emoções, numa repetição igualzinho as colheradas que colocamos na boca quando o paladar acusa que a comida esta gostosa, vamos comendo pelas beiradas, depois acabamos por lamber o prato. Então cuidado, nem toda comida gostosa é sadia, mas é um canal para algumas doenças que explodem numa simples gastrite, num diabetes ou mesmo num câncer no velho argumento que o meu corpo está forte,quando fracos somos diante de qualquer doença, ninguém venha dizer que fica em paz quando a doença nos assalta, mesmo depois dos remédios, o corpo se reabilita, dá sinais de melhoras, mas a cura total não existe, somente quando nos livrarmos do corpo dessa morte, só nas mansões celestiais estaremos livres, aqui estaremos sujeitos a tomar remédio controlado todo dia, o diagnóstico é o mesmo para todos cristãos: Vigiar, orar, jejuar e se alimentar da Palavra do Senhor, que o pão do céu, essa receita é infalível contra o vírus do velho homem.
Já entendemos que a mídia ou a modernidade não pode ser justificativa para a queda. O que interessa saber é o que nos leva a ficar nas mãos do velho homem? Por que ele exerce tanto poder sobre nós? Como se livrar das garras desse homem caído? Essas respostas nós iremos construir juntos, portanto estaremos abordando nas próximas postagens.

Até à próxima!
André Silva

10 comentários:

claudiani disse...

Temos que a cada dia negar a si mesmo.
não trocar a salvação por lentilhas que o mundo oferece.
a carne é fraca,mas o espírito tem que prevalecer.

mauricea disse...

Ola, caro professor! A leitura que fiz dos seus textos me levaram a fazer uma nova reflexão de vida, mediante as situações as quais ultimamerte tenho vivido. Que Deus continue te agraciando com o dom da Palavra vivificadora. Paz e Bem!


Mauricea Lima.

La Espada De Dios disse...

Bem-aventurado aquele que lê e bem-aventurados os que ouvem as palavras desta profecia e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo.
Apocalipse 1:3

visita:
http://aespadadodeus.blogspot.com/

**Palavra de Deus na sua língua**

Debora Zibordi disse...

A paz do Senhor, André.

Que texto lindo! O homem se frustra ao percorrer seus próprios caminhos, mas quando buscamos orientação pela Palavra podemos cantar, certos da vitória.

Que te agradecer pela visita em meu blog e também pelo belíssimo testemunho de fé que muito me edificou.

Minha oração é para que o Senhor te preserve um servo ungido e cheio da inspiração do Espírito Santo.

Deus te abençoe.

Anônimo disse...

Quero antes de tudo te falar que os textos estão realmente inspirados pelo Espirito Santo de Deus... falo isso porque foi o que senti ao Ler, espero que vc continue sempre assim, parabéns...fico feliz por ter um amigo assim como vc cheio da Graça de Deus, bjs e fica na paz e mais uma vez está de parabéns pelos textos...são lindos!!!

André Silva disse...

A Paz do Senhor, irmã Claudiani

É um prazer tê-la aqui.
Na verdade, as lentilhas ou delicias engordam o corpo espiritual e nos deixa a a mercê do velho homem.
Que o Senhor Jesus continue abençoando você.

André Silva disse...

Oi, Mauricea!
é um grande prazer ter você como minha leitora.
Que você possa se alimenar ainda mais com os meus humildes textos.
Um abraço,

André Silva disse...

Agradeço a visita do irmão do blog La espada de Dios, em breve estarei visitando seu blog.

André Silva disse...

Irmã Débora, que prazer tê-la aqui!
Seus comentários são edificantes demais. Perdão pelo tempo, em breve estarei visitando seu maravilhoso blog continuamente.
Um abraço em Cristo,

André Silva disse...

A Paz do Senhor, a você a quem me escreveu anonimamente,

agradeço suas palavras de estímulos e por causa de tais palavras me impulsiono a escrever ainda mais.
Que o Senhor Jesus continue abençoando você.
Da próxima vez revele seu nome.
Um abraço,