Pesquisar este blog

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Amor com amor se paga


Há muito tempo se observa o descrédito da sociedade em relação a si mesma, nunca se viu tanta gente a procura de psicólogos, terapeutas e da auto ajuda dos livros nestes últimos dias, por outro lado não percebemos a dívida montanhosa que estamos gerando em nós e por nós no outro, quando paradoxalmente estamos chorando o leite derramado pelo fruto de nossa ação-inerte, porém voluntária de um amor que talvez não conhecemos, mas sempre queremos ter e ganhá-lo. Então, como anda sua reciprocidade? Até que ponto a sua pedagogia diária reflete um amor a longo e curto prazo? Você ama ou está sendo manobrado a amar? (1ª João 3.14,15)
Pare e reflita agora, retorne ao começo de você e de muitas crianças que neste século estão começando a vida, outrora, há vinte ou trinta anos, não se via tantas passeatas em busca da paz, não se via como hoje tantos movimentos em torno da fome, na época de seus pais, a fome não assolava, nem tão pouco o individualismo, entretanto hoje, crianças desde pequenas são ensinadas a competir, quando crescidas, só entendem que para serem melhores tenham que ganhar sempre e crescemos sob o signo da vitória sem amor, porque o segundo lugar é desprezível, aliás, a sociedade não destaca o segundo, nem terceiro, nem o último, só tem aplausos quem está no topo do podium, nas escolas não é diferente, o aluno que tirou uma nota inferior é escanteado, parabéns escrito no caderno é para quem acerta tudo e não para aqueles que se esforçam e crescemos assim, ensinados a nos alegrar com o embrulho do presente sem observar seu conteúdo.
No trabalho a dívida aumenta, as pessoas estão competindo sempre, alguém tem que mostrar que é o melhor sem mostrar trabalho e competência e confundem competência com favoritivismo, competência com produção e acabam não produzindo nada, por querer produzir sozinho o que de mãos dadas se chegaria ao todo, quando Jesus nos ensina que cada um é importante não só dentro de nossas especificidades, ao contrário, ele nos capacita para quaisquer desafios que a vida nos proporcionar, basta seguirmos seus passos e imitá-lo, mesmo assim, nosso saldo positivo em relação ao amor vai diminuindo e a dívida aumentando, quando trilhamos os doces caminhos do "Ser - Estar" sem perceber a prisão que se forma em torno, por queremos massagear o ego com nosso auto-entendimento, sem esperarmos o momento certo de estarmos e fazermos o que devemos.
Com isso, nos ensinaram ao longo do tempo, que os sacerdotes são mais abençoados que nós por estarem sentados nas primeiras cadeiras e ocuparem os melhores lugares no templo e na sociedade, quando Deus ergue o sol pela manhã, enxuga não só as suas roupas, mas também a do mais perigosos assassinos, provando que não somos melhores do que estes em nada, ao contrário, nossa dívida com o amor aumenta, quando fazemos acepção das pessoas, nos esquecendo que somos apenas pó sobre a terra e se não amarmos o outro, nossa dívida externa ficará impagável diante de Deus na sua volta, porque o amor só se paga com amor e não com dinheiro e não com competência e não com sorrisos e não com sapiência e não com títulos acadêmicos e não com o primeiro lugar, mas só amando. (1ª João 3.18)
Sendo assim, sofra, mas ame, seja escanteado, mas ame, seja perseguido, apontado e ferido, mas ame, não espere ser beneficiado e aplaudido por ninguém, pois tudo vem de Deus, dEle é o poder e a glória, nada pode ser acrescentado a nós a não ser por permissão dEle, então não resmungue, ame, seja obediente e siga apenas a Cristo e ganharás não mais uma dívida, apenas amor até o fim, no céu que nos espera.

Até à próxima!
André Silva.

4 comentários:

Graça Souza disse...

Amém!
Graça Souza...

André Silva disse...

A paz do Senhor, irmã Graça!
É sempre um prazer caloroso ter seus comentários.
Rogo suas orações a minha pessoa.
Em Cristo,
André

Debora Zibordi disse...

Irmão André, sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito (Rm 8:28).
Sabe, nos últimos dias, o Senhor tem provado nossa capacidade de amar, de suportar o mais fraco, de aguentar as afrontas e injustiças! Como seu texto maravilhosamente expressou, o amor é algo vindo do Senhor! Não importa quais são as barreiras que nos cercam, se amamos a Deus acima de todas as coisas, Ele nos fortalecerá e ajudará a amarmos até mesmo aqueles que querem ver nosso mal e derrota.
Parabéns por mais um texto edificante! Saiba que os maiores vencedores na história bíblica, foram aqueles que mais passaram por provações e aflições!!!
Creia no poder e no amor imensurável de Deus por sua vida!
"Deus entende o seu caminho, e ele sabe o seu lugar" (Jó 28:23).

André Silva disse...

Irmã Débora!
Paz do Senhor

É um privilégio tê-la aqui comentando meus textos, que Deus continue abençoando sua vida.

Em Cristo,
Irmão André